Criar vínculos sólidos entre consumidores finais e marcas é uma função primordial do marketing. Embora a responsabilidade de gerar experiências para os clientes envolva outros setores da companhia, o departamento de marketing continua com um papel crucial para 48% dos executivos de marketing brasileiros ouvidos pelo levantamento “State of Marketing”.

Apesar de enxergarem sua área como a principal em estabelecer relações de consumidores finais, em 2017, 73% dos profissionais de marketing afirmaram estar satisfeitos ou muito satisfeitos em colaborar com outros departamentos.

De acordo com a pesquisa deste ano, 51% dos profissionais brasileiros dividem essas informações com equipes de e-commerces, 53%, com de vendas, e 59%, com de atendimento ao cliente.

A maioria dos entrevistados no Brasil (54%) relata ter uma visão unificada de todas as fontes responsáveis por promover dados de clientes. Normalmente, o time de marketing baseia-se em provedores de e-mail, Data Management Platform (DMP) e CRM. O uso de mais fontes de informação tende a contribuir para essa percepção. Segundo a pesquisa, os profissionais brasileiros usaram em média 25 fontes de informações em 2018. Ao passo que novas tecnologias se tornam mais comuns, diferentes ferramentas passam a integrar o exercício profissional dos executivos de marketing.

Criar soluções personalizadas para obter sucesso em campanhas e ações está cada vez mais comum na área de marketing. A importância vem da demanda gerada pelos consumidores, que estão cada vez mais querendo experiências além do produto em si. Eles querem que a empresa o reconheça como um indivíduo, não como um número. O levantamento aponta que 82% dos consumidores aceitam compartilhar informações pessoais relevantes em troca de experiências personalizadas e digitais.

Ao mesmo tempo em que o consumidor busca personalização cada vez maior ao interagir com marcas, ele quer que seus dados sejam protegidos. E recomenda que os anunciantes sejam transparentes, que façam bom uso de informações e que proporcionem uma experiência que surpreenda positivamente; dando a eles autonomia para excluir informações pessoais quando quiserem.

Porém, há uma massa imensa de dados que precisa ser analisada. Nesse cenário, a Inteligência Artificial (IA) pode ajudar o profissional de marketing a ser mais eficiente ao fazer recomendações. A IA pode, por exemplo, propor ajustes em um e-mail marketing, antes que seja disparado, e antever resultados de teste. Segundo o levantamento “State of Marketing”, 27% dos profissionais brasileiros entrevistados usam IA em engajamento com o cliente.

Compartilhe: